>Pra quem tem a oportunidade de conviver muuuito comigo, muuuito provavelmente já me ouviu dizer “a raiva não é um sentimento produtivo”… embora isso seja verdade na maioria dos casos, eu não concordo 100%… ok, vamos explicar…

A raiva está entre os sentimentos mais produtivos, desde que essa raiva seja focada, canalizada… não estou aqui pra dizer como isso acontece, por dois motivos… primeiro, não sei se tem como explicar… segundo, porque eu vim falar de preguiça… mas tenhamos em mente que raiva “generalizada”, onde só pensamos no problema, e não na solução, não é um sentimento produtivo… não continuarei esse raciocínio pois ele não é “inédito” para os que convivem comigo…

Bom, e por que estou falando tudo isso? Porque eu vi uma frase que eu achei interessante para me fazer rever em parte meus conceitos sobre a preguiça: “A preguiça é a mãe do progresso. Se o homem não tivesse preguiça de caminhar, não teria inventado a roda.” – Mário Quintana. O raciocínio aqui, é parecido com o da raiva… a preguiça “generalizada”, definitivamente não é um sentimento produtivo, mas foi a preguiça que inventou a roda… podemos dizer até que a preguiça inventou a calculadora… que inventou o computador… ok, pode haver quem discorde, obviamente não deve ter sido a preguiça a motivação pra tudo o que temos, mas o raciocínio faz sentido… do meu lado, é a preguiça que me faz usar o Excel com formatações condicionais e macros… rs…

Bom, é isso… post curto… desejo raiva e preguiça produtiva a todos…

1234 SEMPRE!

Advertisements