>

Hoje eu pretendo falar sobre o processo de aprendizado… o jogo do Santos e Corinthians tá rolando, mas como o Mumu não respondeu minha mensagem, e a Aline tá doente e com preguiça, estou assistindo o jogo em casa… então, por mais estranho que pareça, eu abri uma garrafa de vinho, deixei a TV ligada sem som e estou escrevendo…

Hoje eu resolvi falar um pouco sober o processo de aprendizagem… na verdade, sobre os estágios no processo de aprendizagem…

Os estágios são:
1. Inconsciente e incompetente
2. Consciente e incompetente
3. Consciente e competente
4. Inconsciente e compentente

Primeiro estágio: Inconsciente e incompetente.
Nesse estágio, não sabemos o que não sabemos. Você não sabe o que tem para ser aprendido, e por isso, não aprendeu. Essas frases podem ser confusas e não vou me atrever a tentar explicá-las. Só saibam que ela não são tão óbvias o quanto parecem e se quiserem mais explicações, a gente continua. É que eu acho que lendo os próximo estágios, essa frase fará mais sentido.

Segundo estágio: Consciente e incompetente.
Aqui, você sabe o que não sabe. Você sabe o que tem para ser aprendido, mas não aprendeu ainda. Você é consciente daquilo que você não sabe.

Terceiro estágio: Consciente e competente.
Nesse estágio, você sabe o que sabe. Você soube o que você tinha que aprender, e aprendeu.

Quarto estágio: Inconsciente e competente.
Aqui, você não sabe o que você sabe. As coisas são intuitivas que você não sabe tudo o que você sabe pra fazer alguma coisa. É como andar. Você sabe ensinar alguém a andar usando palavras? Muito provavelmente não… é intuitivo… (gol do Santos) …você pode até tentar: “Ah, é só botar um pé na frente do outro e se equilibrar… aí você põe o pé que tá atrás na frente do outro pé e por aí vai”… é o suficiente? Provavelmente não… (gol du Curíntia)

Entenderam os quatro estágios? Provavelmente a explicação aqui tenha sido sucinta demais e o entendimanto careça de uma reflexão… não que isso vá mudar a sua vida, mas a compreensão é interessante… isso tudo é literatura e não tem mérito meu em explicar expor isso…

De qualquer maneira, o meu objetivo aqui hoje não era falar dos estágios, e sim da consequência de estarmos em cada estágio… aliás, aqui é que está o mérito de hoje… e ele é do meu professor de música… gente, se vocês pararam pra pensar, talvez cheguem na mesma conclusão: os estágios 1, 3 e 4 são confortáveis… no 3 e no 4 por sabermos o que temos que saber… no 1, por não sabermos o que temos que saber… esses são estágios que provavelmente não nos levarão a lugar algum (no caso do 3 e 4, talvez já levaram a onde tinham que levar)… o estágio 2, porém, é onde estamos em situação de desconforto… temos consciência do que não sabemos e aprendermos essas coisas nos levam pra frente…

Obviamente, tudo depende do contexto… depende do que estamos a aprender… e vou citar os dois casos onde vi essa explicação dos estágios sendo exposta:
O primeiro deles foi na música… onde o meu professor disse que temos que nos esforçar para aprendermos o que não sabemos… pra isso, temos que tomar consciência do que não sabemos, por outro lado, insistirmos no que sabemos (consciente ou inconscientemente) não nos levará além da perfeição naquele único quesito/técnica…
O segundo deles foi no Meta… e no caso, a consciência girava em torno comportamento de pessoas genuinamente magras (não entrarei em detalhes desse conceito)… aí, no primeiro estágio, a gente não sabe por que os gordinhos são gordinhos e os magros são magros… no segundo estágio, a gente sabe porque os magros são magros, mas ainda não aprendemos a agir como eles… no terceiro caso, fazemos os que os magros fazem, mas isso exige esforço consciente… fazemos porque queremos ser magros… aí, o quarto e ideal estágio para qualquer “item de aprendizado” (desde que a gente não estacione, espero que isso tenha ficado claro) é que a gente tenha comportamentos de magro não por querer se manter magro, mas por ser magro…

O segundo tempo do jogo acabou de começar… minha garrafa de vinho está quase no fim… e como parei de escrever, vou tocar meu violão até a garrafa terminar… vinhos tornam os meus momentos de introspecção mais interessantes e/ou produtivos…

Fico por aqui… 1234 SEMPRE!

PS. Tenho gente pra levar no curso… e talvez, a consequência dessa minha intenção seja a de cumprir um dos itens da minha “Bucket List”

Advertisements