>

Percebo que recentemente eu tenho discursado um pouco em ressignificações… preço, proatividade, responsabilidade… chegou a vez de outra palavra… competência…
De uns tempos pra cá, tenho ouvido no Eldorado um questionamento sobre competências… algumas coisas precisam mudar, estamos em momento de precisar fazer mais coisas, e com isso, sugiu o questionamento sobre quais as competências que temos, e quais as competências que precisamos…
Na paralela, estou com intenções de montar um treinamento de Excel para algumas pessoas e embora isso esteja longe de estar estruturado, eu sei exatamente como esse treinamento será conduzido… mas antes, compartilhar o conceito de competência (e linkar o conceito com o meu treinamento), quero divulgar um texto que li há muito tempo e no qual esbarrei recentemente…
“Estava eu na minha cidade natal no final de semana e resolvemos construir uma mureta. Primeiro para proteger o nosso rancho das chuvas e depois para fazer uma opção de assento. Como a animação sempre foi o meu forte, coloquei pilha em todos e fomos à cidade comprar os materiais. Lá compramos tijolos, cimento, e outras quinquilharias necessárias, ou não, a um canteiro de obras. Conseguimos reunir nada mais nada menos que os melhores tijolos, o melhor cimento, a melhor areia para massa, o melhor saibro, a melhor colher, a melhor trena, o melhor prumo e o melhor nível, em resumo reunimos os melhores materiais de construção e as melhores ferramentas. Segundo o meu entendimento tínhamos tudo. A mureta, diante do que tínhamos, necessariamente iria sair perfeita. Neste momento meu matuto cunhado, disse: uma parede não é feita apenas com tijolos, areia e cimento. Antes de tudo é preciso de alguém que saiba usar as ferramentas e construir a partir de blocos isolados uma unidade chamada parede, capaz de resistir às investidas da natureza. Deve-se fazer a massa certa, dosando os componentes, alinhando e travando os tijolos. É necessária a sabedoria de um pedreiro. Que aula. Fico imaginando que muitas vezes gastamos tempo e dinheiro para adquirir os melhores materiais e comprar as melhores ferramentas, mas não conseguimos construir a parede, porque falta que saiba. Temos tudo e não sabemos misturar a dose certa, não sabemos travar os tijolos, não sabemos fazer a massa. As empresas investem milhões em materiais e ferramentas e suas paredes não conseguem resistir à força da natureza. Falta aquele que sabe usar as ferramentas para edificar. Mas na sua equipe e na sua empresa isto não acontece! Preste atenção, de repente você tem as ferramentas e os “ingredientes”, mas não sabe fazer a parede, ou a fará mais ou menos. Use a cabeça identifique os materiais e as ferramentas e ensine as pessoas a usá-las. Toda empresa precisa de gente, que saiba, se eles não souberem não adianta gastar milhões em ferramentas, é preciso antes pessoas. Ferramentas não valem nada na mão de quem não sabe Operá-las.”
Obviamente, não há como discordar… mas o motivo das minhas palavras de hoje, é, como eu gostaria de acreditar que é quase sempre, ir um passo além das impressões iniciais…
Dentre as definições de competência que achei por aí cito: “a integração e a coordenação de um conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes que na sua manifestação produzem uma atuação diferenciada” e também: “modo singular como uma habilidade é operacionalizada”…
Gente, sinceramente, qual é o conceito de competência que vocês, ou a maioria das pessoas, têm em mente quando falamos de competências? Creio que as respostas estarão alinhadas com a ideia geral do texto acima… em outras palavras, creio que existirá uma claro discernimento entre o que é uma ferramenta e o que é saber usar uma ferramenta… e creio também, que a maioria das pessoas definirá “competência” como o conhecimento, a habilidade para se usar essas ferramentas… essa definição não está errada… então pergunto: por que eu quero ressignificar esse termo? Eu quero ressignificar esse termos pois o atual conceito de competência é simplemente insuficiente
O que vejo ser o novo conceito de competência está diretamente relacionado com o Hábito 2 no contexto de “As Duas Criações”… não, não vou entrar em detalhes aqui… mas digo que saber usar a ferramenta, hoje em dia, não é o suficiente… independentemente da ferramenta, muito provavelmente haverá muita gente que sabe usá-la… o que interessa hoje é saber o que podemos fazer com essa ferramenta… e mais importante, saber o que queremos fazer com essa ferramenta…
Traduzindo para o contexto do texto que copiei aqui: não basta termos as melhores ferramentas, tampouco basta sabermos usar essas ferramentas para erguer uma parede… o interessante, e, que eu redefino como competência nesse contexto, é saber usar o conhecimento de erguer paredes… em outras palavras: basta saber erguer uma parede para se construir uma boa casa? É bom você saber o que quer… infelizmente, não consigo explicar mais do que isso… mas desvio um pouco do raciocínio para um parênteses: se você quer uma casa, você precisa saber erguer paredes? Não… você precisa de alguém que saiba erguer paredes, aí, o resto é contigo… fecha parênteses…
Trazendo tudo isso para o contexto do treinamento de Excel que eu pretendo dar no Eldorado: se você não sabe o que você quer no Excel, não importa você saber como usá-lo… não adianta eu explicar como fazer coisas se você não sabe o que quer fazer…
Por esse novo conceito, acho que o conceito de “Mapa de Competências” de algumas empresas tenha que passar por uma reformulação… e particularmente, vejo que com essa reformulação, as empresas só têm a ganhar…
Fico por aqui… 1234 SEMPRE!

Advertisements