É… mais um… e consegui tirar um tempo pra fazer a avaliação do ano logo depois do fim… mesmo assim, é difícil lembrar de tudo… vou me permitir fazer um breve comentário sobre cada coisa que escrevo…

Pessoas que conheci: Kalaf e Ronaldo… não são pessoas com quem tenho intimidade… ambos são professores… o Kalaf é professor da pós… e o Ronaldo, do curso na Casa de Jesus…
Aquisição: cheguei a considerar essa “categoria” meio materialista… mas, ao olhar pra lista dos anos anteriores, vi que citei apenas coisas que acrescentaram em algum aspecto… e, nesse sentido, a aquisição do ano foi uma HP 12C…
Decisão: começar o curso de Espiritismo na Casa de Jesus e começar a pós em Gestão Estratégica em Tecnologia da Informação… uma decisão que acredito que ficará constante na minha daqui em diante é aprender sempre… eu fiquei muito tempo sem aula, achando que ler livros estava sendo suficiente… é claro que boas leituras colaboram, mas é bem diferente quando tem alguém na sua frente…
Filme/Seriado: não lembro de nenhum filme excepcional… mas gostei bastante de “Invictus”, que foi um dos que vi esse ano… ah, esse ano eu me rendi a “Lost” também… e gostei… mas é daquelas coisas que a gente assiste uma vez… sanado o mistério, não tenho vontade de assistir novamente… mas tá sendo bem legal… ainda falta a sexta temporada…
Livro: “Tudo o que você pensa, pense ao contrário” – leitura obrigatória para quem quer empreender…
Momentos: as incontáveis violãozadas… com destaque pra uma na casa do Victinho, uma na Romana e a mais recente na casa do Ti…
Música que aprendi: nenhuma em especial… eu acho… na verdade, não lembro de músicas novas que eu tenha aprendido esse ano… #failtotal
Música que conheci: “The Trapeze Swinger” (Iron & Wine), “Into Dust” (Mazzy Star), “Through the Dark” (Alexi Murdoch) e “World Spins Madly On” (The Weepies)… música é coisa de momento… mas essas foram as que ficaram…
Site: hmmm… nenhum em especial…
Citação: assim como no ano passado… o Twitter continua sendo uma fonte inesgotável de citações… e citações, assim como músicas, são coisas de momento… tem um zilhão de frases que eu poderia repetir aqui, mas a eleita do ano foi (ou do momento dentre as “melhores” do ano): “Quem não acredita na bondade nas atitudes dos outros, não acredita na sua própria bondade!”
…alguém consegue pensar em outras categorias em que eu não pensei?
…é isso… será que vai ter post de metas pra 2011? Sei não…
…fui!
Advertisements