É… é difícil olhar pra trás e tentar lembrar TUDO de bom e de ruim que aconteceu com a gente… é natural que cometamos algumas injustiças na hora de lembrar as coisas/pessoas que aconteceram… mas segue…

2011 definitivamente, pra mim, foi o ano dos velórios… muita gente querida se foi esse ano… I guess this is part of growing up too… é a única certeza e blah blah blah… mas será que a tendência é continuar ou aumentar?

Pessoa que conheci: duas pessoas que eu gostei de conhecer esse ano: a Inayê e o Andrés…

Aquisição: pode parecer brincadeira… mas das duas coisas que eu considero a aquisição do ano, uma delas foi repelente de insetos… no começo do ano, trabalhando em casa, repelente foi um life saver… rs… mas o que considero ser a aquisição mais significativa desse ano foi o baixo…

Decisão: bom, a decisão mais significativa certamente foi a de trabalhar por conta própria… na verdade, essa decisão foi tomada no ano passado, mas o resultado dela só veio esse ano… a gente olha para as coisas de outra maneira quando estamos em cima das próprias pernas… mas não vou me delongar nisso nesse post… outra decisão significativa foi a de aceitar a “convocação” para tocar baixo com o Guizão e o Mancini… vida de banda é muito bacana quando temos o cuidado para não permitir que a diversão se vá… e particularmente, os ensaios devolveram a “noite” à minha rotina… isso é papo de maluco, mas acho que é bom lembrarmos que ela existe… uma consequência dessa decisão foi a participação, até onde sei em caráter temporário, na banda Amazon… o que me permitirá fazer mais coisas pela primeira vez…

Filme/Seriado: talvez o destaque vá para “How I Met Your Mother”, que foi recomendação da Inayê… com essa “quebra” da resistência para conhecer séries novas, eu abri a porteira e agora estou acompanhando um monte… de vários eu consigo extrair o que eu considero lições interessantes…

Livro: “O Óbvio” de James Dale… gente, pequena pausa para um parêntese: o óbvio não é óbvio… o que chamamos de óbvio normalmente é a consequência do que deveria ser o óbvio… encontrar o óbvio não é fácil, mas é um exercício interessante e pode trazer bons resultados… fecha parênteses…

Momentos: uma cervejada no Bar do Fernando… uma cervejada no City Bar no episódio da Princesa Kate… um Bar do Motta em que o Bruno foi e batemos altos papos… praticamente todas as cervejadas no Soares, em especial na saideira da pós… os vários churras/outros at Z’s com destaque para a virada pra 2012 (ontem/hoje)… e os ensaios (como quase sempre)…

Música que aprendi: essa é uma categoria que provavelmente não fará parte da lista ano que vem… por causa do baixo, cortei as unhas… pode não parecer nada pra vocês, mas, por causa do violão, eu tive as unhas da mão direita compridas por mais de 15 anos… agora, por causa do baixo, cortei… com isso, o violão, pelo menos do jeito que eu toco/tocava, nas cordas de aço, ficou bem comprometido… fazer o que? Para cada escolha, uma renúncia… chega o baixo… vai-se o violão… agora, só com palheta (sim, é BEM diferente)… mas voltando, “sem” o violão, não tem música “autossuficiente” que eu aprendi esse ano… no baixo, toda música depende de contexto/banda, então fica mais difícil… blah… vamos ver como essa categoria fica no ano que vem…

Música que conheci: “Just Breathe” do Pearl Jam… “Passionflower” do Jon Gomm… e na linha das pesadas, “Double the Pain” do Heaven and Hell…

Citação: várias… talvez a que mereça destaque é: “Existem duas escolhas básicas na vida: aceitar as condições como elas existem ou aceitar a responsabilidade de mudá-las.” – Denis Waitley

Lição aprendida: musicalmente, Modos Gregos! (ainda em processo de aprendizado, na verdade, agora é mais questão de prática)… profissionalmente, o Pomodoro funciona, mas te arrebenta… espiritualmente, há muitas coincidências por aí…

Meta para 2012? Só tem uma que eu realmente quero atingir: deixar de ser bonzinho… ser bom e ser bonzinho são coisas diferentes… e só pra constar, não ser bonzinho é diferente de ser mau… aliás, eu arriscaria dizer que ser bonzinho está mais próximo de ser mau do que ser bom… fica pra reflexão e talvez um futuro post…

Outra meta? Ter mais interações embriagadas com as pessoas… cuidado na interpretação disso… aliás, acho que até seria melhor eu nem colocar isso aqui pois desconfio do discernimento de alguns para interpretar isso decentemente… vai ter gente achando que eu sou um bêbado ou um dependente de álcool para certas coisas… but I’m learning to be willing to be misunderstood e por isso (e também pelo fato de estar tarde), não continuarei o raciocínio… pelo menos não agora…

Abraço procêis… para os envolvidos, thanks for the great year! Love you all!

E vamo que vamo que amanhã “já” é dia 2… and our work is never over…

Advertisements