Category: aleatoriedades


Wow… more than 3 years?

Ok… so it’s been a while and I do apologize? (I wonder if anyone missed this blog at all). The very first thing I wish to change is the language I’m writing in. For those that don’t know, I now live in the U.S., and I would very much like to share my thoughts with non-Portuguese-speaking people. I hope this is alright.

I intend to ease in with the updates… organize my “topic” backlog and let’s take it from there.

Talk to you all again soon.

Advertisements

Mais um…

Como uma pessoa que alega não comer carne, o que foge aos costumes da nossa sociedade, assim como qualquer coisa que foge aos costumes até o ponto de serem aceitos, sou constantemente questionado (no bom e no mau sentido), pressionado, desafiado com relação a minha decisão… uma coisa que eu prometi que não faria são ataques “gratuitos” aos hábitos carnívoros (e não tenho sido tão bem sucedido nisso quanto eu gostaria)… mas me dou o direito, pra não dizer dever, de responder sempre que o fizerem, principalmente se o fazem de maneira séria e bem elaborada…

Para contextualizar, me enviaram esse link: http://chetday.com/vegmyths.htm

Li, e respondi… ao ver que a minha resposta ficou grande para responder no meio de comunicação pelo qual chegou até mim, resolvi escrever (e compartilhar) aqui e mandar um link para esse post…

—————————————-

Bom, antes de qualquer coisa, a minha ressalva… eu não vou vegano… o termo “vegetariano” ainda é confuso… o que eu digo é: “eu não como carne, e nisso eu incluo boi, porco e frango”… se eu tiver que colocar os meus hábitos alimentares em um único termo, eu diria que eu sou “ovo-lacto-pisco-vegetariano”… o que eu vou “defender” é o não consumo de carne.

MYTH #1: Meat consumption contributes to famine and depletes the Earth’s natural resources.

O radicalismo da afirmação a transforma em mito mesmo… tirando o radicalismo de “fome mundial” e “esgotamento dos recursos naturais” e olhando apenas para o lado matemático, não tem como negar… a solução da questão de “fome mundial” e “esgotamento dos recursos naturais” vai além da mera matemática.

MYTH #2: Vitamin B12 can be obtained from plant sources.

MYTH #10: Soy products are adequate substitutes for meat and dairy products.

Isso é mito mesmo. B12, por exemplo, segundo o que li a respeito, não pode ser obtida de fontes “não animais”. Mas isso não deve justificar o consumo de produtos animais na quantidade em que consumimos. Segundo o que li, para uma pessoa que tem o hábito de consumir 100g diários de carne (considerando que fosse a única alimentação de origem animal), se houver um corte radical/abrupto/repentino de 100% de carne, os efeitos de carência de B12 serão percebidos (embora em teoria irreversíveis) após 20 meses. Há fontes “não carnes” que suprem, com “folga”, a carência de B12.

MYTH #3: Our needs for vitamin D can be met by sunlight.

Provavelmente existe alguma relação entre exposição ao sol e vitamina D. Exposição ao sol, por outro lado, não é incondicionalmente recomendável. Segundo o que li, um protetor solar com FPS nível 8, que creio ser baixo, é suficiente para bloquear esses alegados efeitos benéficos do sol para com vitamina D. A quantidade de vitamina D é maior em peixe, ou seja, em fontes “não carne”.

MYTH #4: The body’s needs for vitamin A can be entirely obtained from plant foods.

O próprio artigo alega a possibilidade de se obter vitamina A de fontes vegetais, mas sob algumas circunstâncias. Essas circunstâncias não incluem carne.

MYTH #5: Meat-eating causes osteoporosis, kidney disease, heart disease, and cancer.

MYTH #6: Saturated fats and dietary cholesterol cause heart disease, atherosclerosis, and/or cancer, and low-fat, low-cholesterol diets are healthier for people.

MYTH #7: Vegetarians live longer and have more energy and endurance than meat-eaters.

MYTH #9: Meat and saturated fat consumption have increased in the 20th century, with a corresponding increase in heart disease and cancer.

MYTH #13: Animal products contain numerous, harmful toxins.

Aqui a questão é racional e estatística. O consumo de carne é perfeitamente evitável para a sobrevivência. E a incidência dessas doenças, embora eu acredite que as causas vão além do que “mera” alimentação, é estatisticamente maior em pessoas cujo consumo de carne é excessivo (e explico: excessivo = que vai além das necessidades… sim, o nosso consumo de carne tende a ser excessivo comparado às necessidades diárias… não confundir “consumo excessivo” com “consumo excessivo comparado à média de consumo da população”, embora seja nessa segunda “definição” de excessivo em que a estatística é “favorecida”).  Existe uma diferença grande entre “comer carne” e “alimentação saudável”. O mais comum é vermos os dois extremos… ou seja, ter o “não comer carne” como saudável… e o “comer carne” como saudável… a tendência é que tudo em excesso faça mal e é importante levar em consideração a qualidade/procedência da carne (e de qualquer coisa) que consumimos. Comer carne e não comer carne não são incondicionalmente bons. Por questões capitalistas, infelizmente, ou naturalmente, muitas coisas acontecem com o que consumimos. De qualquer maneira, como eu disse, eu acredito que a causa dessas doenças vai além da “mera” alimentação.

MYTH #11: The human body is not designed for meat consumption.

Há opiniões que suportam os dois lados. Vai de cada um acreditar no que quiser acreditar.

MYTH #12: Eating animal flesh causes violent, aggressive behavior in humans.

Please.

MYTH #14: Eating meat or animal products is less “spiritual” than eating only plant foods.

MYTH #15: Eating animal foods is inhumane.

O Espiritismo, que é a doutrina/segmento/filosofia/ciência/whatever “religiosa” da qual eu mais aproximo e respeito, não condena o consumo de carne. Um palpite meu, e até onde sei, só meu, é que essa não condenação se dá por conta da compreensão do grau evolutivo em que os homens e/ou o planeta Terra se encontra. Hoje em dia, o consumo de carne é perfeitamente evitável para a sobrevivência, toda essa racionalização prevalece para justificar o prazer pelo sabor da carne. O consumo de carne existe, em grande parte, por não ter o envolvimento com o animal abatido. A nossa infinitamente questionável superioridade aos animais é consequência da nossa deficiente, porém felizmente constante, evolução moral, e é por isso que toda a discussão se dá em bases intelectuais, nas quais incluo esse texto, que finda aqui.

Top Ten 2011

É… é difícil olhar pra trás e tentar lembrar TUDO de bom e de ruim que aconteceu com a gente… é natural que cometamos algumas injustiças na hora de lembrar as coisas/pessoas que aconteceram… mas segue…

2011 definitivamente, pra mim, foi o ano dos velórios… muita gente querida se foi esse ano… I guess this is part of growing up too… é a única certeza e blah blah blah… mas será que a tendência é continuar ou aumentar?

Pessoa que conheci: duas pessoas que eu gostei de conhecer esse ano: a Inayê e o Andrés…

Aquisição: pode parecer brincadeira… mas das duas coisas que eu considero a aquisição do ano, uma delas foi repelente de insetos… no começo do ano, trabalhando em casa, repelente foi um life saver… rs… mas o que considero ser a aquisição mais significativa desse ano foi o baixo…

Decisão: bom, a decisão mais significativa certamente foi a de trabalhar por conta própria… na verdade, essa decisão foi tomada no ano passado, mas o resultado dela só veio esse ano… a gente olha para as coisas de outra maneira quando estamos em cima das próprias pernas… mas não vou me delongar nisso nesse post… outra decisão significativa foi a de aceitar a “convocação” para tocar baixo com o Guizão e o Mancini… vida de banda é muito bacana quando temos o cuidado para não permitir que a diversão se vá… e particularmente, os ensaios devolveram a “noite” à minha rotina… isso é papo de maluco, mas acho que é bom lembrarmos que ela existe… uma consequência dessa decisão foi a participação, até onde sei em caráter temporário, na banda Amazon… o que me permitirá fazer mais coisas pela primeira vez…

Filme/Seriado: talvez o destaque vá para “How I Met Your Mother”, que foi recomendação da Inayê… com essa “quebra” da resistência para conhecer séries novas, eu abri a porteira e agora estou acompanhando um monte… de vários eu consigo extrair o que eu considero lições interessantes…

Livro: “O Óbvio” de James Dale… gente, pequena pausa para um parêntese: o óbvio não é óbvio… o que chamamos de óbvio normalmente é a consequência do que deveria ser o óbvio… encontrar o óbvio não é fácil, mas é um exercício interessante e pode trazer bons resultados… fecha parênteses…

Momentos: uma cervejada no Bar do Fernando… uma cervejada no City Bar no episódio da Princesa Kate… um Bar do Motta em que o Bruno foi e batemos altos papos… praticamente todas as cervejadas no Soares, em especial na saideira da pós… os vários churras/outros at Z’s com destaque para a virada pra 2012 (ontem/hoje)… e os ensaios (como quase sempre)…

Música que aprendi: essa é uma categoria que provavelmente não fará parte da lista ano que vem… por causa do baixo, cortei as unhas… pode não parecer nada pra vocês, mas, por causa do violão, eu tive as unhas da mão direita compridas por mais de 15 anos… agora, por causa do baixo, cortei… com isso, o violão, pelo menos do jeito que eu toco/tocava, nas cordas de aço, ficou bem comprometido… fazer o que? Para cada escolha, uma renúncia… chega o baixo… vai-se o violão… agora, só com palheta (sim, é BEM diferente)… mas voltando, “sem” o violão, não tem música “autossuficiente” que eu aprendi esse ano… no baixo, toda música depende de contexto/banda, então fica mais difícil… blah… vamos ver como essa categoria fica no ano que vem…

Música que conheci: “Just Breathe” do Pearl Jam… “Passionflower” do Jon Gomm… e na linha das pesadas, “Double the Pain” do Heaven and Hell…

Citação: várias… talvez a que mereça destaque é: “Existem duas escolhas básicas na vida: aceitar as condições como elas existem ou aceitar a responsabilidade de mudá-las.” – Denis Waitley

Lição aprendida: musicalmente, Modos Gregos! (ainda em processo de aprendizado, na verdade, agora é mais questão de prática)… profissionalmente, o Pomodoro funciona, mas te arrebenta… espiritualmente, há muitas coincidências por aí…

Meta para 2012? Só tem uma que eu realmente quero atingir: deixar de ser bonzinho… ser bom e ser bonzinho são coisas diferentes… e só pra constar, não ser bonzinho é diferente de ser mau… aliás, eu arriscaria dizer que ser bonzinho está mais próximo de ser mau do que ser bom… fica pra reflexão e talvez um futuro post…

Outra meta? Ter mais interações embriagadas com as pessoas… cuidado na interpretação disso… aliás, acho que até seria melhor eu nem colocar isso aqui pois desconfio do discernimento de alguns para interpretar isso decentemente… vai ter gente achando que eu sou um bêbado ou um dependente de álcool para certas coisas… but I’m learning to be willing to be misunderstood e por isso (e também pelo fato de estar tarde), não continuarei o raciocínio… pelo menos não agora…

Abraço procêis… para os envolvidos, thanks for the great year! Love you all!

E vamo que vamo que amanhã “já” é dia 2… and our work is never over…

#Gripe

Estou há 2947 0 dias sem gripe…

There’s probably an explanation for this…

“I collect bad wines”

Poucas vezes vemos recados tão bem dados de maneira tão objetiva…

…that’s it…

Just sharing…

Post curto (pra não dizer praticamente inexistente)… o intuito é só quebrar o jejum de posts por aqui…

Escrever posts como eu escrevo costumam levar uma manhã, tarde ou noite inteira e com isso, é mais ou menos comum que fiquemos períodos sem escrever…

O post de hoje é só pra compartilhar dois videos de que gostei muito… é bem provável que todo mundo aqui já os tenha visto… mas o que me chamou a atenção é a “arte visual” da coisa… uma das minhas “frustrações” é não saber desenhar… e nesses dois videos, bom… see for yourselves…

 

Hope you enjoyed it…

É isso… fui!

Compartilhando o sorriso…

Post mega curto que acredito que vai arrancar de você um sorriso também… fazia *tempo* que eu não via um sorriso desses… é… depois a gente fala disso… anyway…

A explicação que eu tirei daqui é essa: “O Chatroulette é um site que permite que duas pessoas em qualquer lugar do mundo entrem em contato aleatoriamente através de suas webcams. Foi usando essa ferramenta que um grupo de amigos planejou um encontro bem inusitado. Ao se conectar com uma menina chamada Diana, um dos meninos começa a cantar. O que parecia ser apenas mais uma conversa, acaba virando uma serenata de amor.”

E o video é esse:

Só isso… post curto…

Fui!

A União faz a Força?

Ontem vi um video bem bacana que quis compartilhar com vocês… segue:

 

 

E fica a pergunta que está no título… a união faz a força? É claro que faz…

A grande pergunta é: o que faz a união?

Think about it…

Fico por aqui…

Let’s try!

Ok guys… vamos estreiar o WordPress escrevendo diretamente aqui e depois colocando link pra cá no Blogspot… considerem isso um período de transição e/ou avaliação… aparentemente o WordPress tem mais recursos e o “search” dele funciona melhor que o do Blogspot… aqui eu consigo encontrar posts antigos com muito menos trabalho…

…para quem estiver curioso, o link para o Blogspot é http://newtolivieri.blogspot.com/… aliás, se quiserem opinar com relação à aparência, por favor…

…eu reparei que alguns videos e imagens foram corrompidos na importação que foi feita… mas fica a experiência… o primeiro post sério vem agora… enjoy!

Direito Digital…

Na lista de coisas que eu venho aprendendo na pós, há coisas sobre direito digital… e pra não me delongar muito nesse assunto, resumo: se algum comentário no seu blog for cabível de algum processo e você não tiver meios de identificar o originador do comentário, você se torna responsável e responde por ele… por isso, a recomendação é, para o caso de blogs, moderar os comentários…

Então, pra terminar esse curto post… escrevo apenas para dizer que a partir de agora, os comentários serão publicados mediante aprovação… sei que não terei problemas com o conteúdo dos comentários das pessoas que normalmente escrevem aqui, mas é prudente ter esse tipo de preocupação…

É isso… mais notícias em breve…